Conversa com Mia Couto

O moçambicano Mia Couto, um dos mais importantes escritores do continente africano e também um dos mais traduzidos, concedeu uma entrevista emocionante para o capitão Moish nos escritórios da editora Companhia das Letras, que publica seus livros aqui no Brasil, numa tarde chuvosa do bairro do Itaim em São Paulo. Lendas ancestrais, a ligação afetiva entre contador e ouvinte, o medo, a tensão entre o masculino e o feminino, a importância de ouvir as crianças foram alguns dos assuntos que pautaram o encontro.

Mia Couto se autodefine como um escutador e contador de histórias. Muitas das suas narrativas são recriações baseadas em relatos que ele ouve dos povos de sua terra e na história de guerra recente de Moçambique. Os neologismos são comuns em seus livros, impregnando-os de poesia e conferindo a eles uma atmosfera em que o real e o fantástico se misturam.

Jornalista e biólogo, com mais de trinta livros publicados, Mia Couto recebeu vários prêmios, dentre eles o Camões de Literatura e o Neustadt pelo conjunto de sua obra, em 2013. Em 2015, ele foi o primeiro escritor em língua portuguesa a ser indicado ao Man Booker Prize.

O conto A menina sem palavra, publicado pela Companhia das Letras, foi gentilmente cedido pelo autor e pela editora para a série Histórias do Capitão Moish. Vem ouvir!